0

[Resenha] Tentação - Trilogia Luxúria - Eve Berlin

Posted by Nanda Cris on 29 de novembro de 2014 11:33 in , ,
Oi galerinha!

Correndo pra fazer mais uma resenha, acho que não vou renovar minha promessa pra 2015 de resenhar tudo que eu leio não, porque... affmaria!

A Trilogia Luxúria é composta por, pasmem!, 3 livros, kkkkk. Já resenhei os outros 2 aqui e aqui.


A sinopse:
Mischa Kennon não é de se deixar dominar, pelo menos não até conhecer o sexy Connor Galloway, um irlandês de olhos verdes com um ar de autoridade que acha difícil resistir. Durante a realização de tarefas como dama de honra de sua melhor amiga, Mischa se entrega a uma relação casual com Connor. Ela se surpreende com a emoção de seu domínio, e a paixão pelas brigas antes da rendição. É tudo diversão e jogos no clube de BDSM, até que Mischa percebe que Connor poderia dominar seu coração. Se ela se rende ao desejo, vai ser muito para aguentar, ou vai mostrar um tipo de amor que nunca imaginou possível? 

O que eu achei:

É aquela velha fórmula né? Cenas hot 98%, história 2%. Pra quem quer um passatempo descompromissado, está ótimo e recomendo a leitura. Não é necessário ter lido os outros 2 livros para entender este e isso é um ponto a favor da autora. Outra coisa legal foi que ela foi aumentando a pegada sadomasoquista conforme foram passando os livros. Alex, do primeiro, dá só uns tapinhas e olhe lá. Dante já pega mais pesado com açoite e tal. Mas Connor, meu amigo, esse sim faz escola. O cara usa tudo e mais um pouco, é nível hard! Teve algumas partes até que me incomodaram um pouquinho, mas eu sou persistente e segui adiante.

Mas a autora não é só alegrias não, ela é fraca. Os livros dela tem aquela pegada mais-do-mesmo sabe como é? E como eu li o 2 (No limiar do desejo) e na sequencia li o 3 (Tentação) até a metade do livro fiquei com a sensação de estar lendo a história de Dante e Kara com novos nomes (Misha e Connor), só do meio pra lá que a história muda um pouco, mas os conflitos emocionais ainda estão lá, dessa vez um pouco mais condizentes com a realidade, mas nem por isso menos chatos do que os dos livros anteriores.

Outro problema é que o livro é mal escrito. Gente, se eu ganhasse 1 real a cada vez que a autora escreve "adorável" eu estaria rica neste exato momento. Depois do vigésimo parei de contar, porque né?

Enfim, é fraco. Mas passa o tempo.






|
Gostou?
3

Um dia by Sammyfreitas

Posted by Samantha Freitas on 28 de novembro de 2014 06:00 in , , , , , , , ,



Abrir os olhos. Levantar. Um bom dia. Um sorriso. Um abraço. Seguir em frente. O sol. O céu. A manhã. Amanhã. Os pássaros. As árvores. O ar. Força. Buscar. Encontrar. Aquela música tocando na rádio. Lembranças. Vontade de voltar a dormir. Lembranças: ai... essas lembranças. Comparações. Arrependimentos. Reflexões. Fatos. Timidez. Reviver. Renascer a cada dia. Recuperar. Pensar. Achar graça. Achar muita graça. Ter raiva. Ter medo. Sentir. Ouvir. Aquele abraço. O teu abraço. Um sorriso desesperado. Aquele sorriso. Ficar sem graça. Dúvidas. Questionamentos. Incertezas Sem nada entender. Sem nada saber. Lembrar do passado. Olhar o presente. Tensão. Previsões. Traição. MEDO. Não saber. Saber. Não aceitar. Aceitar. Vontade. Dúvidas. Mais dúvidas. Muito mais Dúvidas. Procurar. Achar. Esconder. Paciência. Esperar. Mais dÚvidas e dúvidas. Um fato. Um jogo. Um sentimento. Não saber o que sente. Ser dócil. Ser cruel. Saber sem saber. Mudar visões. Modificar conceitos. Analisar. INSPIRAÇÃO. Uma criança. Um sorriso de uma criança. Uma flor. Uma cor. A simplicidade. Esquecer. Lembrar. Pouco. Tudo. Muito mais. Além do que se vê. Um dia. Uma tarde. Uma noite. Uma vida. Duas vidas...





|
Gostou?
1

[Resenha] No Limiar do Desejo - Eve Berlin

Posted by Nanda Cris on 27 de novembro de 2014 02:00 in ,
Oi, oi, oi! Correndoooooo! Mais uma resenha express!


Sinopse:
Kara Crawford é uma advogada que sabe como guardar um segredo, ainda mais depois de ter sido desprezada por um ex-namorado ao lhe ter revelado suas fantasias sexuais. Ela não esperava encontrar alguém que pudesse realizar seus desejos mais íntimos e extremos, até vivenciar uma das noites mais incríveis de sua vida ao lado de um homem que há muito admirava. O sexualmente dominante Dante de Matteo conhecia Kara dos tempos do colégio e jamais havia imaginado que as fantasias mais sombrias de uma mulher pudessem ser tão compatíveis com as suas. Mas nenhum dos dois acreditava que aquela paixão pudesse passar de uma noite. Quando Dante é contratado pelo escritório onde Kara trabalha, os dois são confrontados diariamente com as faíscas daquela química explosiva e não sabem como lidar com isso. À medida que o desejo intenso os aproxima, temores bem profundos ameaçam separá-los e eles precisam aprender a abraçar da mesma maneira o medo e o prazer do amor. Vão conseguir? No limiar do desejo é o segundo livro da trilogia de romance erótico, de Eve Berlin, iniciada com o sucesso Luxúria. Conheça a história de como Kara Crawford satisfaz todas as suas fantasias sexuais com o antigo colega de escola Dante de Matteo, com quem passa a trabalhar. Uma história cheia de erotismo, tensão e intensidade.
O que eu achei:

Quem leu o primeiro livro da série, Luxúria (link aqui), sabe que não dá para esperar muito dessa autora. Esse livro foi mais do mesmo: cenas hot ótimas, algumas reflexões psicológicas chatas demais, protagonistas com empatia, história chiclete e impossível parar de ler. Recomendo para quem quer algo sessão da tarde, que prende mas não é nada profundo.



|
Gostou?
2

[Resenha] Recomeço - Cat Patrick

Posted by Nanda Cris on 25 de novembro de 2014 02:00 in ,
Bom dia!!!

Correndo mais uma vez, venho aqui contar de um livro que terminei de ler no sábado mas não resenhei por pura preguiça.. vamos ver qual é?



Sinopse:
Tudo começou com um acidente de ônibus. Daisy Appleby era pequena demais para lembrar — tem apenas flashes do acidente que a matou, e de ter sido trazida de volta à vida. A partir daquele momento, ela se tornou uma das catorze crianças que fazem parte de um programa secreto do governo que visa aprovar um novo medicamento: o Recomeço. Daisy já morreu algumas vezes, e a cada morte ela recebe um novo sobrenome, vai para uma nova cidade e ganha uma nova história. A única constante em sua vida é a própria inconstância. Ao conhecer Matt e Audrey, seus primeiros amigos de verdade, após sua quinta morte, ela tenta criar raízes em mais um lar e começa a descobrir segredos sobre o programa Recomeço. Quanto mais informações vêm à tona, mais Daisy percebe que não passa de um peão em um jogo sinistro, que pode revelar que seu mundo — e tudo no ela que acredita — é uma grande mentira.

O que eu achei:

Esse é o segundo livro da autora que escreveu Deslembrança (link aqui). Assim como o primeiro, este livro tinha tudo pra ser ótimo, mas não foi. A história é inovadora e muito bem bolada. Mas o modo como ele é desenvolvido é que deixa a desejar. Ele é mais raso que poça de chuva. Os conflitos são sem sentido. Os protagonistas não tem empatia.

Vou dar um exemplo aleatório sobre o que eu estou falando. Por morar com agentes do governo, o porão da casa de Dayse é um laboratório do governo, onde tem mais ou menos 50 seringas do Recomeço. Ela rouba o conteúdo de uma e coloca água no lugar. Primeiro furo: se algum dia ela morresse e eles usassem a água nela, não iria dar certo e ela iria morrer de vez. Ela não se preocupou com isso? Não, sabe porque? Porque da última vez em que ela foi reanimada, precisaram usar 3 doses de Recomeço. Então, o Recomeço não funcionar (por ser água) não seria tão problemático assim. Então, não temos mais problema nenhum quanto à água, vida que segue né? Não, agora que vem o grande furo! Os agentes foram noticiados de uma morte e correram para pegar as seringas com o medicamento. Ela surtou e falou para eles não levarem a seringa com a água. O agente olhou para ela com reprovação e avisou que eles iam conversar novamente sobre aquilo. 1. Conversaram? Não, claro que não! Tipo, super normal ela ter roubado o medicamento, pra que confrontar a menina? 2. Se o Recomeço pode falhar e aí eles usam outras doses, pra que contar gzuis????

A súbita amizade entre Dayse e Audrey, como se fossem melhores amigas há anos, unha em carne. Em poucos meses? Sendo que Dayse já tinha uma "melhor amiga" dentro do programa. Volúvel essa menina não?

O comportamento de Matt ao longo do namoro. Esse não posso detalhar muito, mas se vc for ler, preste atenção nele. Totalmente incongruente.

Enfim, mais um livro pra lista de tinha-tudo-pra-ser-ótimo-mas-não-foi-que-pena.






|
Gostou?
2

Perdida by sammyfreitas

Posted by Samantha Freitas on 23 de novembro de 2014 21:30 in , , , , , ,



E então eu me perdi. 

Eu me perdi nos meus sonhos, nos meus segredos. 
Eu me perdi nas minhas dúvidas, nas incertezas da vida.

Eu me perdi porque a vontade de ser eu mesma estava condicionada a tudo aquilo que as pessoas esperavam de mim.

Eu me perdi nos gestos de ternura. Eu me perdi no cuidado e preocupação com as pessoas.

Eu me perdi na capacidade de me doar, eu me perdi quando colocava as pessoas em primeiro lugar. 

Eu me perdi porque achava que amar o mundo e doar parte de mim eram a eterna tentativa de tornar ele melhor.

Eu me perdi porque achava que olhar para fora, era suficiente para encher o vazio que havia em mim.

Eu me perdi porque amava ao mundo, mas não necessariamente me amava na mesma intensidade. 

Eu me perdi no amor que eu distribuía, mas que não deixava nada em mim.

Eu cansei de estar perdida. 
.
.
.
.
.
.
.
E então eu conheci você. 
E me achei. 



Hoje tudo está mais claro, não há mais dúvidas. Os olhos que vêem são os mesmos, a paisagem é a mesma, mas tudo dentro de mim mudou. 

Hoje posso compreender, aceitar e amar. Amar sem medo e sem culpa e nada mais importa, só o peso que deixou de existir.





|
Gostou?
4

[Resenha] Proibido by sammyfreitas

Posted by Samantha Freitas on 01:56 in , , , , , , ,


SINOPSE:
Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis. Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes. Eles são irmão e irmã. Mas será que o mundo receberá de braços abertos aqueles que ousaram violar um de seus mais arraigados tabus? E você, receberia? Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.


Minhas impressões:
Esse foi um dos livros mais difíceis que li este ano. Quando li a resenha da Manuh Hitz no Blog "Ler para divertir", fiquei interessada na história. E aí, li a sinopse e a curiosidade aumentou muito. Mas, eu não tinha o livro em papel e sempre fico adiando para ler no Kindle. Até que um amigo ganhou o livro no sorteio do Skoob e me emprestou. 

No momento que comecei a leitura, eu já sabia que aconteceria o incesto. A sinopse já falava sobre isso, então era um spoiler gratuito. A questão toda era só como, onde, quando e sob quais circunstâncias. Mantive minha mente aberta e fiquei esperando a bomba... 

O livro foi escrito em primeira pessoa alternando entre Lochan e Maya. Temos uma narração simples e informal, bem parecido com os nossos pensamentos que não são bem lineares. Eu me senti dentro da cabeça dos dois o tempo todo. E nessa narrativa, o amor entre eles cresce, eles finalmente começam a entender o sentimento que tem e o incesto fica como pano de fundo. E ele não é falado e nem pensado. Na verdade, ele meio que some, mas você sabe que está lá. Sofri muito com Lochan, e chorei muito com Maya. 

Se formos buscar o mote da história, vemos que desde muito pequenos eles se consideravam alma gêmeas, melhores amigos, companheiros inseparáveis. Até que chega o momento em que eles crescem e se tornam adolescentes. O pai os abandonou e a mãe  cada vez mais ausente, faz com que Lochan e Maya se tornem os pais dos irmãos menores. E vivendo como pais, quase como um casal com uma cumplicidade única, o que eles menos queriam e esperavam, acabou acontecendo. Apaixonaram-se um pelo outro. Mas eles resistem. Reprimem e negam os sentimentos. Até que um dia, eles não conseguem mais esconder o que está acontecendo entre eles.

Eles foram os personagens mais altruístas que já encontrei em minhas leituras. A preocupação maior deles, sempre foi manter todos os irmãos juntos. Eles se anulavam para cuidar dos irmãos. Mentiam e faziam mil malabarismos para evitar que os assistentes sociais batessem à porta para enviar os irmãos a lares adotivos. 

Confesso, que torci para que eles largassem tudo de mão dessem o grito de independência. E sei lá... torcia para um final feliz, onde eles mudassem de cidade, estado, país, o que fosse, mas que se tornassem a família que queriam ser.


Embora a escrita nos faça torcer pelos dois , Tabitha mostra o tempo todo as implicações e nos questiona o tempo todo o certo e o errado, fica nos fazendo pensar seriamente no que o ato de ficar juntos poderia acarretar não só para suas vidas, mas principalmente para a vida de seus irmãos. 

E então, conhecendo os sentimentos límpidos e extremamente inocentes dos nossos protagonistas, é quase impossível se manter com os conceitos impostos pela sociedade, lei ou religião.

Eu ficava o tempo todo me perguntando que será que teria acontecido isso tudo se a família fosse estável. Só conseguia sentir meu peito apertado de angústia e vontade de bater naquela mãe irresponsável. Ficava pensando em como as famílias desintegradas pelo abandono ou por vício traziam consequências tão complicadas.

Mas preciso confessar que o final do livro, foi devastador. Impactante. Surpreendente. Eu já imaginava o final, por isso, quando a autora manipulou o enredo trazendo um desfecho perturbador. É impossível não se emocionar ao ler Proibido. Toda a emoção vivida por Lochan, Maya e até mesmos os vislumbres dos irmãos, pulava das páginas e me dava tapas e mais tapas de reflexão.

Quando terminei o livro, fiquei parada por mais de meia hora, sem conseguir me mexer, com as lágrimas escorrendo dos meus olhos.

Proibido é um livro polêmico e dramático. Ler este livro me lembrou (e muito) Shakespeare e todos os romances que ele escreveu com amores proibidos e sofrimento. No fundo, talvez eu estivesse precisando de um livro assim, que me fizesse chorar e sair da minha zona de conforto. Foi ficção, mas fico me perguntando se fosse real. Se tivesse acontecido na minha família. Fiquei questionando minha torcida por algo proibido. Minha torcida por Lochan e Maya. Eu me despi de todo e qualquer preconceito que poderia ter e me coloquei no lugar deles, para tentar entender a realidade que eles viviam. 

Recomendo para quem tiver estômago para ler e a mente aberta para sentir.


Minhas quotes favoritas:

"... como fazer com que as pessoas entendam que Lochan e eu somos irmãos apenas por um erro biológico? Que nunca fomos irmãos no sentido real, mas sempre companheiros, tendo que criar uma família enquanto crescíamos? Como explicar que Lochan nunca foi apenas um irmão, mas algo muito, muito além disso - uma alma gêmea, um melhor amigo, uma parte do meu próprio ser?"   



---------- xxxxx --------

"No fim das contas, o que importa mesmo é o quanto você pode suportar, o quanto pode resistir. Juntos, não fazemos mal a ninguém; separados, nós definhamos."


---------- xxxxx --------
"Então é isso, a sensação depois de uma longa e sofrida luta – perder a batalha e finalmente enlouquecer."


Tempo: 2 dias
 Finalidade: Reflexão, compreensão
Restrição: Pessoas Preconceituosas
Princípios ativos: Tabu, Amor, Incesto Consensual

Livro: Proibido
Autor: Tabitha Suzuma
Editora: Valentina
Páginas: 304

|
Gostou?

Copyright © 2009 Retalhos Assimétricos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive.