3

[Resenha] Profundamente sua - Sylvia Day

Posted by Nanda Cris on 8 de fevereiro de 2014 11:36 in , ,
Oi Corujas leitoras!

E mais uma vez Cross é responsável por olheiras e bocejos no dia seguinte. Em mim e na Eva, kkkk. Piadinhas a parte, são 2:25 da manhã e só vou conseguir dormir agora que terminei o segundo livro. Não consegui ser forte e me forçar a parar, mesmo sabendo que amanhã a ideia é acordar cedo para passear com o maridão. Enfim... vida que segue... não adianta ficar aqui me lamuriando né? Agora já foi, o pouco sono é certo, nada que um expresso duplo não resolva. Vamos para a resenha?!


Resenha:
Gideon Cross. Ele é tão bonito e perfeito do lado de fora quanto é danificado e atormentado no interior. Ele era uma chama brilhante e ardente que me chamuscou com o mais escuro dos prazeres. Eu não poderia ficar longe. Eu não queria. Ele era o meu vício... meu desejo... todo meu. Meu passado foi tão violento quanto o dele, e eu estava tão machucada. Nós nunca iríamos ser normais. Era muito difícil, muito doloroso... exceto quando era perfeito. Aqueles momentos em que a voragem do amor desesperado eram a loucura mais requintada. Fomos completamente subjugados pela nossa necessidade. E a nossa paixão nos levaria além dos nossos limites para a mais doce borda da mais nítida obsessão.

O que eu achei:

Aconteceu novamente o que já tinha ocorrido na leitura de Toda Sua: eu não consegui parar de ler, nem se disso dependesse a minha vida. Eu não sei se é porque os 2 são tão atormentados que não conseguimos desviar os olhos, sempre atentos ao próximo passo, ou se é algum motivo mais obscuro e sombrio, mas o fato é que gostei do final deste livro, achei tudo bem amarrado e explicado, deixando bons ganchos pro próximo.

Como a Paty (oi sua linda!) tinha me prevenido, neste livro vemos que eles realmente se amam. Mas não vou dizer que foi uma leitura fácil. A Eva está mais insegura do que nunca neste livro, chega a incomodar. Cross já disse e demonstrou de 5498 formas que não vive sem ela, que é a mulher da sua vida. Ela nunca o viu fazendo nada demais, apenas se encontrando com Corine, ex-noiva dele, em eventos públicos e mesmo assim o acusa sempre e sempre, se tornando cada vez mais chata. Já Gideon a pega aos beijos com Brett, um antigo namorado, e sabe o que ele faz? Larga tudo para passar um final de semana apenas com ela, dedicando todo seu amor e tentando mostrar em gestos o que não consegue falar em palavras. E nem assim a Eva consegue perceber o amor dele. É frustrante para mim, imagina para Cross!

Gideon Cross foi o nome forte neste livro, e as 2 partes que destaco são ele a figura principal dos fatos:

"Meu anjo, se eu fosse mais feliz do que você me faz, viraria uma pessoa disfuncional" 
"Você está mesmo contente?" 
"Prefiro brigar com você, meu anjo, a rir e me divertir com qualquer outra pessoa."


"Eu te amo." 
"Fala de novo." 
"Eu te amo. A palavra certa não é bem essa (...) as pessoas conseguem esquecer um amor. Conseguem viver sem ele, seguir em frente. É possível perder um amor e encontrar outro. Comigo isso não vai acontecer. Não vou sobreviver a você, Eva. Estou obcecado, meu anjo. Viciado. Você é tudo que eu sempre quis e precisei, tudo com que sempre sonhei. Você é tudo. Eu vivo e respiro por você. Por você."

COMO essa mulher consegue ser insegura com esse homem, meu Deus!? Ok, ela tem traumas, mas ele também tem e nem assim ele é tão inseguro. 

Então, resumindo a ópera: esse livro começa bem fraco, repetitivo e chato. Aí Brett (o ex namorado, lembra?) entra na história e daí pra frente o circo pega fogo. Gideon mostra sua total devoção a Eva e quase ficamos com vontade de achar um cara possessivo para chamar de nosso. Quase. kkkkk.

Finalmente temos um vislumbre com mais detalhes do que aconteceu no passado de Gideon, o que nos deixa apenas com mais vontade de saber um pouco mais sobre. Além disso, ainda ficamos na curiosidade de saber mais sobre Corine e Christopher (irmão de Cross). Se bem que, pensando bem, tenho curiosidade em saber mais sobre toda a família dele! E fico na expectativa de que em Para Sempre Sua minhas curiosidades sejam sanadas e Eva diminua um pouco essa insegurança crônica dela. Que venha o livro 3!

PS: comecei essa resenha ontem de madrugada, mas dormi com o notebook no colo, só consegui terminar e postar hoje, rsrs.

PS



|
Gostou?
7

[Dica] Como salvar LookBack do Facebook

Posted by Nanda Cris on 4 de fevereiro de 2014 16:42 in , ,
Oi leitores!

Não sei se vocês viram, mas o Facebook está completando 10 anos e quem ganha o presente somos nós! Ele cria automaticamente uma retrospectiva de nossos anos com eles. No meu caso, 4 anos.

Achei fofo, mas fiquei triste por não poder mostrar pra ninguém. Mas agora à tarde meu marido me mostrou um botão no canto direito superior que permite compartilhar o vídeo na minha timeline! Mas só compartilhar não me satisfez, eu queria salvar na minha máquina. Então, corri atrás do conhecimento e posto aqui o passo a passo de como salvar o vídeo!

1) Logue na conta do Facebook e depois vá no endereço: https://www.facebook.com/lookback;

2) Na página que abrir, clique no botão verde "Compartilhe seu filme":


3) Altere a configuração do vídeo compartilhado para público:


4) Copie o endereço do seu vídeo:


5) E jogue no site http://www.downvids.net:


6) Deixe formato "Default" e clique no botão cinza escrito download.

7) Vai aparecer na sua tela o vídeo sendo reproduzido em outra tela. Clique com o botão direito do mouse, e escolha a opção "Salvar vídeo como...", escolha uma pasta no seu computador e salve!



Olha o meu, como ficou:


video


Eu gostei muito, fiquei toda emocionada quando vi. Tantos momentos bons, adorei!!! Tomara que essa dica tenha sido útil!



|
Gostou?
4

[Resenha] Toda Sua - Sylvia Day

Posted by Nanda Cris on 2 de fevereiro de 2014 22:10 in , ,
Boa noite leitores!

Mais um livro que acabo de devorar loucamente. Muito ouvi falar sobre o Sr. Gideon Cross e fiquei curiosa com essa trilogia. Não li antes, porque não tinha os 3 livros em casa e, quem me conhece, sabe que eu sou neurótica com isso. Se não tenho todos os livros, prefiro nem ler e se caio na tentação, acabo tendo que jogar bolas no sinal de trânsito para conseguir o dinheiro a fim de comprar a continuação. Fazer o que? Sou dessas!

Enfim, sem mais churumelas, vamos ao que eu achei desse livro!


Sinopse:

Eva Tramell tem 24 anos e acaba de conseguir um emprego em uma das maiores agências de publicidade dos Estados Unidos. Tudo parece correr de acordo com o plano, até que ela conhece o jovem bilionário Gideon Cross, o homem mais sexy que ela - e provavelmente qualquer outra pessoa - já viu. Gideon imediatamente se interessa por Eva, que faz tudo o que pode para resistir à tentação. Mas ele é lindo, forte, rico, bem-sucedido, poderoso e sempre consegue o que quer - Eva acaba se entregando. Uma relação intensa começa. O sexo é considerado por eles como incrível. Capaz de levar os dois a extremos a que jamais tinham chegado. E, então, eles se apaixonam - o que pode ser tanto a chave para um futuro feliz quanto a faísca que trará de volta os traumas do passado.

O que eu achei:

O começo do livro foi um choque para mim. Cross era completamente sem noção com as palavras e o que deixava Eva louca de desejo por ele, me retraía e deixava com vontade de atirar o livro longe. Quer um exemplo?

Página 29:
"- Você está dormindo com alguém?
- Por que está me perguntando isso?
- Porque eu quero comer você, Eva. Então preciso saber se existe alguém atrapalhando meus planos."
Oi?!?!

Página 38:
"- Romance não é meu forte, Eva. Mas conheço mil maneiras de fazer você gozar. É só querer."
Eita grosseria!

E esses são só alguns comportamentos do Gideon que, ao meu ver, não são nada sedutores e sim totalmente ineficazes. Mas.... Eva acaba se deixando seduzir (como, meu Deus?) e cai nos braços dele.

Agora uma pausa: preciso fazer um comentário no meio do caminho:
Como pode absolutamente TODOS a volta de Eva serem lindos, sarados, maravilhosos e perfeitos? Pombas, ela vive no mundo real ou num agencia de modelos? Se um cara normal malhasse a quantidade de vezes por semana que o Gideon malha, ele nunca ia ter aquela musculatura toda... enfim.

Ok, passou, voltamos à programação normal.

Eva tem um passado onde ela foi abusada sexualmente. Eu, graças a Deus, nunca passei por isso. Mas acho que sexo e dor é uma equação meio pesada para quem, como ela, passou por abusos. E ela encara numa boa, tipo, o tesão (desculpem o termo) dela com a dor aumenta! Pode isso, produção?!

O fato de Cross ser totalmente possessivo em relação à ela, me lembrou um pouco Travis de Belo Desastre. Não lido bem com homens que sufocam suas parceiras, beirando a obsessão. Mas neste caso, até que este ponto foi passável porque Eva não é apenas uma pobre vítima de um controlador sem limites. Ela também é ciumenta, possessiva e adora ele ser como ela.  Então, se isso tráz alegria pra ambos, eles que vão ser felizes no pinel que mais os aprouver, quem sou eu pra falar alguma coisa?

Um ponto muito positivo nesse livro, ao meu ver, é que rola sim uma parada de dominante/dominado mas que não foi algo jogado na minha cara, do tipo: tá vendo essa pilula? Engole, não chora, e vida que segue. Não... a parada foi se descortinando aos poucos, e quando a ideia se forma com todas as letras a gente pensa: é, pode crer, tem uma lógica. Eles tem mesmo esse tipo de relacionamento. E a parada flui, não como algo imposto, mas algo que é o caminho certo a ser seguido. Gostei.

De resto, só achei que a autora perdeu a mão com Cary (melhor amigo de Eva e colega de apartamento dela). Primeiro porque pelo que eu entendi, ele já foi um drogado. E todo mundo que passa por uma reabilitação não pode beber nenhuma bebida alcoólica, porque a vontade de se drogar volta a todo vapor. E Cary sai pra beber com a frequência com que troca de roupa, sem sucumbir ao vício. Faltou aí uma pesquisa da Sylvia. Além disso, Carry era o amiguinho fofinho e centrado de Eva e, de repente, surta e faz uma orgia no meio da sala de estar? Vamos ver se esse comportamento vai ter explicação nos próximos livros porque eu, sinceramente, achei desnecessário.

As cenas hot nem preciso dizer né? Ai, ai, ai, ui, ui. Agradeço por ser menina, porque se eu fosse menino, só ia poder ler esse livro no meu quarto, em público seria inviável. kkkkk.

Bem, sr Cross me fez ficar grudada nas páginas do livro e , com certeza, já estou impaciente pela continuação. Vou só terminar essa resenha e pular pro ataque. Profundamente Sua, aqui vou eu!



|
Gostou?

Copyright © 2009 Retalhos Assimétricos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive.