2

Humor: Dia das crianças!

Posted by Nanda Cris on 4 de outubro de 2013 06:00 in , , ,
Não podia deixar passar o mês das crianças, sem fazer uma homenagem de humor a elas!
Qual mãe nunca passou por algumas situações, não é?
Achei alguns quadrinhos bem engraçados, que venho compartilhar com vocês!

Quando eu era criança, fazia marcadores de página e vendia para todos da minha casa. E o mais legal: todos compravam! Pena que meu público era meio restrito...


Crianças acreditam que podem mudar o mundo, nada é impossível para elas. Quando eu era pequena, acreditava no que a Xuxa dizia: "Tudo que eu quiser, o Cara lá de cima vai me dar".


Nunca gostei muito de matemática, vide que eu só fiquei em recuperação 2 vezes na vida: em química e em matemática. Realmente, essas 2 disciplinas são realmente questão de fé.


Quem nunca teve medo do monstro embaixo da cama ou no armário? Eu até tinha, mas não ficava com muito medo, porque até os 11 anos, dormia no mesmo quarto com a minha irmã e a minha avó. E depois disso, sempre dormi com a minha avó. Com elas por perto, me sentia super segura. Mas evitava sair do perímetro, para fazer xixi ou beber água, por exemplo.


Minha família sempre incentivou meu lado artístico. Toda vez que eu participava de algum evento coletivo na escola, todo mundo botava a mão na massa para fazer a fantasia para mim. Vovó costurava, minha irmã desenhava, minha mãe idealizava e pagava.


Crianças sempre aprontam. Sempre testam limites e sempre se ferram. Como eu sempre fui uma criança quietinha, de apartamento, criada por vó... nunca diz nenhuma atrocidade dessa, pelo menos, não que eu me lembre!


Desde criança eu gostava muito de ler. No meu colégio tinham sempre 4 livros extra-classe para ler, um por bimestre. Eu tentava ler todos de uma vez só e minha mãe ficava escondendo os livros, para me impedir de ler antes do tempo.


Sempre fui muito organizada na minha bagunça. Sabia onde estava cada uma das minhas coisas. Até que vinha um adulto, arrumava tudo e eu ficava mais perdida que cego em tiroteio!


Desculpas para não fazer o dever, desculpas para matar aula, desculpas, desculpas e mais desculpas... pena que lá em casa nunca colava e eu era sempre obrigada a fazer tudo certinho!


Que criança nunca deu um susto nos pais? Vc está olhando, ela está ali, vc desvia o olhar 2 segundos, a criança desapareceu. Eu não me lembro de ter aprontado nenhuma dessas, porque, sempre fui bem tranquila nesses quesitos.

E aí, gostaram? Relembraram a infância?
Feliz mês das Crianças!!!


|
Gostou?
3

O carrinho maldito

Posted by Samantha Freitas on 2 de outubro de 2013 11:24 in , , , ,


Era uma noite chuvosa embora fizesse calor. Não que isso fizesse muita diferença, já que eu estava confortavelmente em minha casa esperando a famosa "Black Night". Não... Black Night não era nada relacionado a qualquer tipo de ritual satânico. Ao menos, não parecia ser. Era apenas uma proposta de marketing do comércio digital para venda de produtos com preços irrisórios e que iria iniciar exatamente às 22h.
E então.. eu observava a chuva escorrendo pelo vidro da janela enquanto acompanhava o relógio do site fazer a contagem regressiva.
E então, quando o site terminou a contagem, imeditamente atualizei. Um horror. Duas mil pessoas entrando ao mesmo tempo, buscando ofertas interessantes.
Achei algumas que me interessavam e por mais que eu mandasse os livros para o carrinho, ele insistia em cuspi-los de volta. E quando não cuspia, alterava os valores ou simplesmente saía do ar.
A certa altura, fiquei irritada com isso. Alternava entre choro impotente e gargalhadas estridentes e desesperadas.

Foi então que fiz algo que jamais deveria ter feito. Gritei a imprecação favorita da minha mãe envolvendo as palavras inferno e demônios por três vezes.

Não sei se vocês conhecem a história do Beetlejuice, mas se repetir o nome dele três vezes, o infeliz aparece. Acho que foi isso que aconteceu. A sobrecarga de informações, os milhares de acessos, o servidor caindo e as palavras malditas.
Fiquei tonta e acho que desmaiei por alguns minutos. Quando olhei à minha volta, não estava mais em casa. Estava no ambiente virtual, dentro do site de compras.
Andei naquele ambiente branco e achando muito engraçado encontrar os livros que outrora enfeitavam minha tela, arrumados em colunas. Foi então que vi uma enorme "seta" vindo em minha direção. Ela esbarrou em meu ombro causando uma queimadura enorme. Foi quando eu percebi que era perigoso estar ali.

Corri e me escondia atrás de livros. Conforme as setas iam arrastando os livros para os carrinhos de compras das pessoas, eu ficava cada vez mais desprotegida.

Até que encontrei um livro que tinha grandes quantidades em estoque. Tremia assustada atrás do livro "Inferno", em um determinado momento, alguém clicou na última edição e me mantive agarrada ao livro.

Todas as vezes que a pessoa teimosamente tentava enfiar o livro no carrinho, eu o empurrava de volta, para que eu não fosse esmagada ali.

Teimei por muito tempo, pois essa pessoa era bastante insistente. E foi aí que algo aconteceu. Um clarão surgiu na minha frente e tampei os olhos com os braços. Quando abri, eu estava novamente deitada em minha cama com o laptop no colo. Pisquei nervosa quando observei que na tela do computador na minha frente, havia uma pessoinha minúscula empurrando os livros para fora dos carrinhos.

Imagino eu, que a pessoa tenha feito o mesmo que eu fiz, xingando o computador e o carrinho maldito e quando ela fez isso, ela tomou meu lugar e me libertou.
Depois disso, eu nunca mais arrisquei entrar nessas promoções súbitas. Você pode até rir e achar que é ficção, mas se você ainda tem suas dúvidas, sugiro que na próxima Black Friday, você grite e xingue seu computador... Só para testar...




|
Gostou?
1

DICAS: Aonde ou onde?

Posted by Marcinha on 30 de setembro de 2013 06:00 in , , ,
Aonde ou onde? Entenda as diferenças e veja dicas para não errar
"Esta é a rua ONDE ou AONDE fica o nosso depósito"?

O mais adequado é: "Esta é a rua ONDE fica o nosso depósito." ONDE significa "no lugar" (=o depósito fica NA RUA).

AONDE significa "ao lugar". Só pode ser usado com verbos cuja regência pede a preposição "a" (IR, CHEGAR, DIRIGIR-SE, LEVAR…): "Esta é a praia AONDE fomos no sábado passado" (=fomos À PRAIA).

Observe a diferença: "Esta é a cidade ONDE ela nasceu" (=ela nasceu NA CIDADE); "Este é o bairro ONDE ele mora" (=ele mora NO BAIRRO); "Esta é a sala ONDE estamos" (=estamos NA SALA); "Esta é a cidade AONDE gosto de ir nas férias" (=gosto de ir À CIDADE); "Este é o estádio AONDE fui ontem" (=fui AO ESTÁDIO); "Este é o lugar AONDE ele quer chegar" (=ele quer chegar AO LUGAR).

Fonte:
Professor Sérgio Nogueira

http://g1.globo.com/platb/portugues/

|
Gostou?

Copyright © 2009 Retalhos Assimétricos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive.